Você sabe o que é Inteligência Artificial? Saiba como ela pode auxiliar na educação

Toque para fechar o menu de navegação

Você sabe o que é Inteligência Artificial? Saiba como ela pode auxiliar na educação


Te convido a parar por um segundo e imaginar o mundo sem a tecnologia. Conseguiu? Sem dúvidas essa é uma tarefa difícil. A realidade é que vivemos em um mundo digital, imersos 24 horas nos dispositivos que, de certa forma, vieram para “facilitar” a nossa vida. O sistema educacional já enxergou esse cenário e agora possui a Inteligência Artificial – IA como uma grande aliada. Esse tipo de tecnologia não é linear, ou seja, ela não possui uma sequência de passos e não é rígida. As tecnologias educacionais baseadas em Inteligência Artificial possuem grande capacidade de aprender e se moldar à necessidade do aluno, ela é versátil. O Big Data – ativos de informação de alto volume, foram de fato aclamados e a AI deixou de ser incipiente nesse nicho.
Um dos grandes objetivos da Ciência de Dados, é transforma-los em ações. Mas o que isso tem a ver com a educação? Tudo! Ainda vivemos uma pandemia e, desde a sua chegada, aconteceu um verdadeiro “boom” na migração dos estudantes para o ambiente digital. É bem certo que o ensino a distância nunca fez tanto sentido e demonstrou ser tão útil e certeiro quanto nesses 2 últimos anos.
Bem, os números não costumam mentir. Uma pesquisa realizada pela everis e Endeavor, mostrou que que o uso das tecnologias de Inteligência Artificial saltou de 32%, em 2018, para os incrivelmente 48%, em 2020. Outra boa notícia? Uma pesquisa delegada pela International Business Machines Corporation – IBM também afirmou que 40% das empresas do Brasil já utilizam ferramentas de IA em seus negócios, sendo o segmento da educação um dos principais.
Preparados
O maior instituto educacional das Américas, o Grupo Educacional IESLA-ESJUS – com foco em programas de Mestrados, Doutorados e Pós-doutorados realizados em grandes instituições espalhadas pelo mundo já se antecipou no assunto e, ao longo de sua história o grupo vem demonstrando maturidade no assunto.
“Está em nossa cultura se preparar para futuro. Por isso, investimos para que os nossos alunos saibam lidar com o mundo contemporâneo e possuem agilidades específicas e tão valiosas para mundo coorporativo. Entendemos que não existe a possibilidade de a Inteligência Artificial não fazer parte do sistema educacional brasileiro. Com toda a certeza, essa já é uma pauta latente e muito real em nossa instituição”, comenta a presidente e reitora do grupo, Dra. Sara Bernardes.
Clique aqui e conheça mais sobre a instituição.
IA e a educação
Para entender melhor sobre essa relação, é preciso compreender que a Ciência de Dados na educação propicia efeitos favoráveis e impulsionadores: o ambiente digital, por exemplo, promove maior engajamento dos alunos, uma vez que possui um ensino customizado; tem a capacidade de traçar estratégias e realizar análises individuais de cada estudante como o chamado “learning analytics” que é a interpretação dos dados produzidos pelos estudantes ao qual o professor pode ter acesso e assim avaliar o crescimento acadêmico. Além desses pontos positivos, os especialistas afirmam que o uso da tecnologia no setor educacional permite levar aos alunos níveis de aprendizados nunca antes esmiuçados.
A IA tem se apresentado de diferentes formas na educação. Podemos citar, por exemplo, as plataformas adaptativas. Esse tipo propõe trilhas de aprendizado individualizadas, ou seja, a partir da experiência e conhecimento prévio do indivíduo ela se molda e propõe algo especifico para aquele usuário.
No entanto, como toda inovação, a AI também requer muito esforço por parte das instituições. É preciso planejamento para garantir que funcione e, tudo isso, conta com a adequação do ambiente virtual e a capacitação do corpo docente, esses são somente alguns dos pontos a serem observados pelas empresas.
Neste novo cenário o aprendizado está se transformando em uma experiência empolgante – dentro ou fora do ambiente escolar palpável. Por isso, é importante receber e entender essa “nova” realidade que deve ser vista como um salto rumo a criatividade, desenvolvimento e crescimento no ensino e aprendizagem brasileiro.