Acontece no IESLA

A necessária retomada das aulas práticas nos cursos superiores

Antes de abordar a necesidade retorno das aulas práticas, é preciso considerar que com a publicação do Decreto Legislativo nº 6, de 20 de março de 2020, e da Lei nº 13.979, de 6 de fevereiro de 2020, que dispõe sobre as medidas para enfrentamento da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente da covid-19, aprovada pelo Congresso Nacional e sancionada pelo Presidente da República, estabeleceu que, as autoridades poderão adotar, no âmbito de suas competências, algumas medidas como isolamento, quarentena, determinação de realização compulsória de:

a) exames médicos;

b) testes laboratoriais;

c) coleta de amostras clínicas;

d) vacinação e outras medidas profiláticas ou

e) tratamentos médicos específicos: uso obrigatório de máscaras de proteção individual, estudo ou investigação epidemiológica, entre outras.

A Lei atingiu diretamente vários segmentos e não foi diferente com a educação. Assim, o Conselho Nacional de Educação (CNE) editou as resoluções estabelecendo condições para a continuidade dos diversos níveis de ensino, observando as competências dos sistemas de ensino.

Em junho, um novo parecer e proposta de resolução foi aprovada pelo CNE, em sua última reunião. Foram estabelecidas diretrizes nacionais para implementação de medidas de retorno à presencialidade das atividades de ensino e aprendizagem, e para regularização do calendário escolar. O Ministério da Educação também publicou a primeira Portaria, com o número 343 – de 2020, e as últimas 1.030 e 1038 – de 2021, possibilitando a oferta do ensino remoto.

Decisão correta

Independentemente das Diretrizes estabelecidas pelo Conselho Nacional de Educação, os governos estaduais e municipais também estabelecem as condições de retomada das aulas presenciais, considerando restrição de números de alunos, distanciamento, protocolos de biossegurança, vacinação dos professores, entre outras exigências. Governos estaduais também têm definido a atividade educacional como essencial, mas, inobstante a condição, continuam restringindo as atividades presenciais.

Importante destacar que a vacinação dos professores da educação básica tem sido prioridade pelos governos estaduais e municipais. Vários dos professores desse segmento coincidentemente ministram aulas no ensino superior.

Dependendo de cada estado da federação, a primeira vacinação já ocorreu nas pessoas com 41 anos ou mais, e com comorbidades. No estado de São Paulo, os cursos de medicina, enfermagem, fisioterapia, fonoaudiologia, odontológica, farmácia, terapia ocupacional, nutrição, psicologia, obstetrícia, gerontologia e biomedicina podem ser oferecidas 100% presencialmente, tanto nas disciplinas práticas como teóricas.

Sem dúvida que a decisão é correta, pois os futuros profissionais da saúde enfrentarão outras pandemias ou variantes e assim, há necessidade de preparo para formação profissional.

Por outro lado, há alunos de outros cursos que estão sendo prejudicados na sua formação pela impossibilidade de frequentarem aulas práticas e laboratoriais, como é o caso dos estudantes de agricultura, silvicultura, pesca e veterinária, computação e tecnologia da informação, agronomia, jornalismo, publicidade e propaganda, engenharia, produção e construção, educação física e todos os cursos que ofertam disciplinas práticas.

Desinteresse pelo retorno às aulas e aumento das desigualdades

Segundo o Instituto Semesp, a soma total desses alunos no Estado de São Paulo é de mais de 344 mil estudantes. Na medida em que a carga de aulas práticas é de 30%, 103 mil alunos, além dos da área da Saúde, precisam frequentar as disciplinas práticas. Importante destacar que esse total de alunos para as disciplinas práticas representa somente 0,8% do total de estudantes de todas as etapas escolares da rede pública e privada (13,3 milhões). O mesmo percentual deve ser muito similar em outros estados.

O jornal o Estado de São Paulo, noticiou na edição de sábado (3) que, com a escola estadual esvaziada, São Paulo cogita a volta obrigatória de aulas a partir de setembro. De fato, o não retorno das atividades presenciais dos alunos de educação básica na escola pública, no segundo semestre, inclusive pelo desinteresse do retorno, é preocupante. As defasagens e o abismo dos discentes das escolas públicas em relação aos das particulares já são grandes e serão ainda maiores, aumentando a desigualdade educacional pela falta de frequência às aulas.

Por outro lado, os alunos do ensino superior que ficarem impedidos de cursarem aulas práticas terão enormes prejuízos na sua formação, ou no mínimo irão retardar a conclusão de curso por falta de oferta de disciplinas que integralizam o curso.

Julho é o mês de decisão do aluno renovar ou fazer uma nova matrícula em função do vestibular ou processo seletivo realizado. Para vários cursos o ensino remoto resolve, mas para outros, não, pois há necessidade de o aluno frequentar presencialmente disciplinas de natureza prática.

Há necessidade de se permitir a retomada das aulas práticas nos cursos superiores a partir de agosto, com a observância do cumprimento dos protocolos de biossegurança e respeitando que grupos de riscos não participem de atividades presenciais.

José Roberto Covac é colunista da plataforma de Ensino Superior, diretor jurídico do SEMESP, sócio da Covac Advogados e da Expertise Educação

Fonte da Notícia: REVISTA ENSINO SUPERIOR

Posts relacionados:

Sear Jasube Gouveia (Vice-Presidente)

Uma instituição de ensino deve ajudar a nutrir as esperanças do mundo: na solução de desafios que atravessam fronteiras; no desbloqueio e aproveitamento de novos conhecimentos; na construção de entendimento cultural e político, e em ambientes de modelagem que promovam o diálogo e o debate das ideias.

O IESLA acredita que as pessoas fazem o lugar onde vivem.

A partir da crença e valores, que ensejaram a criação do IESLA, “de que melhorando o homem melhoramos a nação”, o IESLA vem oferecendo aos brasileiros, angolanos e outros, acesso a mestrados e doutorados nas melhores universidades da Argentina, Portugal e Estados Unidos, proporcionando uma experiência acadêmica de altíssimo nível, além de um riquíssimo intercambio cultural. Em um formato que permite as pessoas conciliarem sua vida profissional e pessoal com a acadêmica. Atendendo, dessa forma, a carência histórica de mestrados e doutorados ofertados no Brasil, em Angola e outros países.

O IESLA está comprometido em continuar contribuindo com a formação acadêmica e profissional das pessoas; por isso, ampliou seu leque de cursos passando a oferecer cursos à distancia, cursos livres, MBA, além de ter aumentado as opções de mestrados, doutorados e pós-doutorados nas mais variadas áreas do conhecimento.

Visite nossos sites e conheça as novidades!

Nós do IESLA e da ESJUS, acreditamos que as pessoas fazem uma instituição grande, então se você é um estudante em perspectiva, estudante atual, professor, pesquisador, membro da equipe, mãe, pai, filho, amigo, ou visitante, o seu interesse e entusiasmo são muito importantes, valorizados e apreciados.
Estaremos sempre a sua disposição.

Dr. Cilas Rosa (Gestor de Patrimônio)

Atualmente muitos confundem conhecimento com sabedoria, mas são conceitos de significações distintas. Se nos atentarmos, podemos perceber diferenças evidentes.

O conhecimento é informação ou noção adquirida pelo estudo ou pela experiência. Que pode ser adquirido por alguém que nunca tenha saído de dentro do local onde se realiza os estudos.

A pessoa se dedicou a pesquisar algo e acumulou grande conhecimento sobre determinado tema.
Já a sabedoria ou sapiência é o que detém o “sábio” ou “Phronesis” – usado por Aristóteles na obra Ética a Nicômaco para descrever a “sabedoria prática”, ou a habilidade para agir de maneira acertada.

Sabedoria humana seria a capacidade que ajuda o homem a identificar seus erros e os da sociedade e corrigi-los. Para se ser sábio é preciso viver, experimentar, desfiar, avaliar, interagir, respeitar, ver e ouvir aos outros e a própria vida.

Antigamente um povo dominava outro sempre pela via bélica, milhares de soldados armados invadiam territórios e escravizada outros. Hoje a invasão não parou, a vontade de dominar não acabou. O desejo de se colocar na posição de dominante ainda está presente.O que mudou são as armas, não se está invadindo com exércitos e acabando com tudo.

Agora o domínio é exercido por quem detém o conhecimento, quem sabe o que fazer e como fazer, domina e, tem os outros sob o seu controle. Nosso país tem proporções continentais, riquezas naturais imensos, praias maravilhosas. Sim, temos um potencial de crescimento que talvez nenhum outro país do mundo possua. Mas o que acontecerá a tantas riquezas naturais se não tivermos um povo preparado, com conhecimento e sabedoria para fazer esse potencial se transformar em benefício e dividendos econômicos?

O que o IESLA propõe a todos é tanto o conhecimento como a sabedoria. Propiciamos o melhor ambiente para o acúmulo de conhecimento, atrelado a interatividade com pessoas de culturas e de atividades profissionais variadas, impulsionando cada participante dos programas ao passo que faltava em direção ao desenvolvimento.

Conte conosco!

Estamos preparados para oferecer a você o que faltava na sua formação acadêmica e/ou profissional.

Dra. Sara Bernardes (Fundadora e Reitora)

O IESLA – Instituto de Educação Superior Latinoamericano vem construindo uma história de compromisso e excelência na educação brasileira. Pautado em uma visão global vem cumprindo com honradez a responsabilidade social com a educação superior no Brasil, na Argentina, na África, nos Estados Unidos e em outros países da América Central. Por entender que o capital humano é o mais precioso ativo de uma nação, o IESLA tem sido aclamado como referência em toda América Latina no segmento educação superior em nível de mestrados, MBA, Doutorados e Pós-doutorados ministrados na modalidade intensiva.

O Instituto de Educação Superior Latinoamericano, orgulhosamente, investe na melhoria da educação brasileira e global.

O IESLA tem a missão de formar, especializar, qualificar e preparar alunos para o desenvolvimento pessoal e profissional por intermédio de projetos pedagógicos arrojados e de conteúdos atuais com sólida base científica, acadêmica ou executiva e profissional que atendam às exigências do mercado e as expectativas dos candidatos aos programas escolhidos.

O IESLA é uma instituição de ensino comprometida com a excelência educacional em todos os níveis.

A razão de persistirmos é você.

Matricule-se em um de nossos cursos.

Você sabia que mais de 80% dos estudantes optam por fazer a graduação ou a Pós mais perto de casa? Para favorecer sua qualidade de vida, o IESLA se instalou na melhor localização do Vetor Norte (Pampulha). Venha conhecer o local onde você vai passar os próximos anos de sua vida estudando e enriquecendo a sua formação profissional, isso é extremamente importante. Por isso, o IESLA, abre as suas portas para que seus futuros alunos possam conhecer nossa estrutura e iniciar uma nova etapa na educação superior.
Será um prazer receber você!